sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Devo ter...

...cara de má.
Os caloirinhos têm medo de mim. Os meus caloiros cumprimentam-me a medo - eu detesto isso, nunca lhes fiz mal (pelo menos, não nesta primeira semana).
Sou segundanista (ou um projecto, já que ainda não me pude inscrever), isto é, no ano passado fui caloira, compreendo-os muito bem, mas eu não tinha medo dos meus superiores que nunca me fizeram mal. Aliás, sou demasiado simpática para os referidos, uma vez que digo sempre como me chamo e depois começo a falar com eles à vontade (não "à vontadinha"), eles compreendem que não podem abusar, para além de os ajudar quando se sentem mal.

Não é que não goste de praxar, mas ainda não tive motivos para tal - ah, mas já dei uma tarefa para ajudar uma caloira com "fanicos", para ela se acalmar e divertir quando começa a "stressar".
Até por isso é que não quero ser madrinha de ninguém. Nunca achei que tivesse perfil para tal. Excepto do meu melhor amigo. Acho que já há uns 14 anos que sou madrinha involuntária dele.


Tratando de outros assuntos, no jornal de hoje vinha a dizer que, aos pais portugueses, lhes falta formação para trabalharem com recursos tecnológicos e que é, segundo a União Europeia, necessário dar-lhes formação.

Ora, tenho uma objecção, ou melhor, uma opinião. Aliás, duas.
Primeiro, quem financiará tais formações, o Estado Português? É que já nem temos impostos suficientes nem nada, e digamos que de finanças o País não vai muito bem.
Segundo, raros são os pais que têm disponibilidade para estarem nessas formações - a não ser, claro está, que o Estado os dispensasse das suas actividades diárias, caso contrário, teriam que as frequentar no horário em que estão com os seus filhos ou que estão em casa ou a descansar.


Bem pensado UE!
Parabéns pelas utopias, são ainda menos aplicáveis que os meus sonhos!

1 fantasias:

Chrystiee disse...

Quero uma segundanista como tu daqui a uns tempinhos quando for caloirinha :D