quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Violência

Venho, por este meio, partilhar algumas das minhas opiniões em relação à violência.

Actualmente, este é um assunto em voga. Possivelmente, seria mais correcto dizer "na moda", pois, por exemplo, há uns tempos era a Maddie, antes a Função Pública e Urgências dos hospitais, a Casa Pia e o Processo Bolonha, entre outros, os temas que foram explorados até à sua exaustão, não trazendo nenhuma solução 100% correcta (digamos que ainda creio que aplicaram Bolonha australopitecamente, estando agora muita gente sem possibilidade de concluir os mestrados dos seus cursos, por ainda não terem sido aprovados, mas não podendo exercer a profissão pretendida, pois a licenciatura já não dá tal grau, et cacetera) .
Digam lá: no ano passado podíamos andar por aí sem haver perigo algum de se ser roubado, ou pior, morto? Aliás, não sei se sabem, mas um dos locais mais propicios a haver casos de violência é dentro dos próprios lares, ou melhor, casas; sim, em Portugal, ainda existe violência doméstica, e não diminuiu (no primeiro semestre do passado ano houve 4330 casos de apoio e no mesmo período deste ano 4699). No entanto, este aumento pode não ser significativo, pois são resultados parciais e semestrais, sendo que, no total anual, podem vir a ser menos que em 2007.
Para ser mais explícita, acredito que a violência não aumentou assim tão drasticamente como a imprensa e os políticos o fazem crer, pois esta sempre existiu - infelizmente, talvez sempre existirá -, mas onde ainda continua com níveis mais preocupantes nem é no exterior, mas sim dentro dos supostos lares, que, ao invés da sua definição, não são seguros, sendo, por isso, casas, manchadas pela violência doméstica - um dos tipos de violência que gera mais violência, intra e extra casa.

2 fantasias:

Marta disse...

Concordo quando dizes que a violência não aumentou assim tanto, o que eu acho é que cada vez escohem locais mais estranhos para assaltar: tribunais, bancos, repartições de finanças, etc. Que dão mais nas vistas e geram mais polémica.
Quanto à violência doméstica penso que esses números podem se interpretados como positivos. Não me acredito que o número de casos tenha aumentado tao significativamente, mas acredito que cada vez mais as vítimas tenham coragem de denunciar e libertar-se dos agressores...

Uma Sonhadora disse...

Acho que este crime de violência doméstica é tão violento e desumano que é difícil compreender como até 2007 não foi considerado crime autónomo.
Acredito que para muitas mulheres seja difícil denunciar porque este sistema está errado, há um período de tempo entre a denúncia e o julgamento em que o agressor está livre, e admiro as mulheres que não se rendem! O sistema respeitante a estes crimes devia ser alterado para as vítimas agredidas poderem denunciar sem medo de represálias!

Mudando de assunto, outro dia deixei-te um comentário anónimo, mas criei o meu blog há pouco tempo e já tenho nome :)

Parabéns pelo blog!