sábado, 7 de fevereiro de 2009

Quando as dedicatórias são feitas a mim...

Fico um pouco sem entender o motivo delas... não estou habituada a coisas em minha honra, porque realmente não creio que faça algo por aí além para merecer tal honra. Sobretudo quando são feitas por pessoas que tenho como referência numa determinada área, em momentos mais complicados, onde, de certo modo, sei que, em parte, também poderei ter sido percursora das consequências.
Se, ao menos, essas pessoas soubessem que quando tomo determinada da qual não estou segura penso no que elas fariam, compreenderiam o porquê de não crer que mereço nenhumas honras: as minhas acções foram tomadas tendo em conta o exemplo delas (e as minhas asneiras, a minha e somente minha opinião).
Esse tipo de coisas costuma vir cheia de lições de vida, lições para lembrar, interpretar e usar. Prefiro-as aos elogios e et ceteras que poderão referir. Os elogios não são tão produtivos, tendem a pôr o ego em cima, tornando-o insuflado demais. As lições já "dão para ambos os lados": podem, simultaneamente, fazer-nos reflectir de aspectos positivos e negativos das nossas acções e pessoa.
Mas, à minha pessoa, são sempre estranhos e costumam surgir em dias especiais (especial pode ser ou não positivo) e precedidos ou procedidos por conversas sérias.
Conversas que ficam guardadas como jóias num baú do tesouro, onde apenas as pessoas em causas estão autorizadas a saber do que se falou. Onde a nossa consciência e coração são questionados e algumas respostas fornecidas pelos outros intervenientes, mas outras por nós mesmos, mas muitas, muitas questões colocamos a nós mesmos. Poderemos voltar a necessitar da ajuda dos outros envolvidos, mas essas serão respondidas ao longo do tempo, ao longo do pensamento e experiência.
E mesmo sendo momentos de desconforto, também se tratam de aprendizagem, de verdade, relacionamento.
Mesmo assim, ainda me são estranhos, estes acontecimentos.
(Não vou colocar etiquetas nesta mensagem, já que nenhuma se adequaria perfeitamente a esta, nunca. Quem o sabe, sabe, quem não o sabe e o merecerá saber, saberá o que terá a saber, os outros, de nada saberão)

1 fantasias:

Verdinha disse...

e ja pensaste que talvez as outras pessoas façam o mesmo que tu fazes? que quando nao sabem por onde seguir te utilizem como exemplo para saber o que devem ou nao fazer?
se te fazem dedicatorias é porque as mereces, porque de alguma forma tb tu tocas a vida deles da msm forma que eles tocam a tua.. ;)

beijinho